VII Seminário da DIVERSIDADE CULTURAL

De 21 a 23 de maio de 2014 | Belo Horizonte/MG

Logo

A diversidade cultural é um projeto político, em contínua e complexa construção, que ultrapassa e desafia perspectivas românticas e idealistas que a reduzem a um mosaico harmônico de diferenças, ou a festivos calendários de exibição do exótico. Diz respeito aos modos como as diferenças e os diferentes interagem entre si e configuram ou não sociedades plurais.

Em sua sétima edição, o seminário traz ao debate temáticas permanentes e emergentes que relacionam a diversidade cultural a questões como o espaço público, subjetividade, mercado audiovisual, movimentos sociais urbanos, instituições, políticas públicas e comunicação. Realizado pelo Observatório da Diversidade Cultural, o seminário efetiva a parceria com o Grupo de Pesquisa Diversidade Cultural e Midiática (CNPq) e o Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PUC Minas).

 

Histórico

ANO
EDIÇÃO
HISTÓRICO
2005
I

TEMA: Diversidade Cultural: O debate internacional para sua preservação

O primeiro Seminário da Diversidade Cultural foi realizado em parceria com o Ministério da Cultura do Brasil, a ONG internacional GERM – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre as Mundializações, e apoio da Escola do Legislativo. O Seminário acompanhou a Assembleia da UNESCO que votava a Convenção para a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais.

2007
II

TEMA: Educação, Desenvolvimento, Música e Dança

Em sua segunda edição, o seminário consolidou a criação do portal do Observatório da Diversidade Cultural (www.observatoriodadiversidade.org.br). Foi realizado por meio de  parceria entre a PUC Minas, através de sua Diretoria de Arte e Cultura, o Ministério da Cultura, através da Secretaria de Identidade e Diversidade Cultural e de sua Representação Regional em Minas, o Governo do Estado, através da Fundação Clóvis Salgado, FAPEMIG e Lei Estadual de Incentivo à Cultura, a USIMINAS, através de seu programa USICULTURA, SATED Minas – Sindicato de Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões de Minas Gerais – e o apoio da Embaixada do Canadá no Brasil e da UNESCO.

2008
III

TEMA: Ações para proteção: Políticas públicas, Gestão e Comunicação

O III Seminário da Diversidade Cultural contou com a presença de nomes como Américo José Córdula (SID/MinC), Clarah Averbuck (escritora), Bráulio Tavares (pesquisador), Lia Calabre (pesquisadora), Ulrike Agathe Schröder (músico – Alemanha). Logo depois, como fruto do III Seminário da Diversidade Cultural, foi publicado o livro “Diversidade Cultural – da proteção à promoção”, pela Editora Autêntica.

2009
IV

TEMA: Entendendo a Convenção da Diversidade

A quarta edição do seminário foi realizada em parceria com o Ministério da Cultura, e foi um importante momento de discussão acerca da “Convenção para a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais da UNESCO”.

2010
V

TEMA: Promovendo Diversidade, superando desigualdades

O V Seminário da Diversidade Cultural, contou com nomes como Luiz A. Albornoz, da Universidad Carlos III de Madrid e do Observatório de Cultura y Comunicación; Gilson Schwartz, da USP; Laure Emperaire, do Institut de Recherche pour le Développement; Jurema Machado, da UNESCO e Gustavo Lins, da UNB.

2011
VI

TEMA: Comunicação, Educação, Criatividade e Diversidade Cultural

O VI Seminário da Diversidade Cultural abordou nos dois dias do evento os seguintes temas:

- Políticas Públicas para a Diversidade Cultural

- Comunicação e conteúdos culturais: criatividade ou fast food midiático?

- Educar para a diversidade

- Diversidade cultural e economia criativa

Além de 4 mesas de debate, inserimos na programação oficinas paralelas (“Si ocê quisé vem”, com Rui Moreira, e “Diversidade, intercultura e educação: uma perspectiva  teórico-prática para o trabalho do docente”, com Gil Esper), realizadas pela manhã. Também na última edição, foi lançado o livro Diversidade Cultural e desigualdade de trocas, de José Márcio Barros e Giuliana Kauar (orgs.).

 

Programação 21/05/2014

Quarta-feira
Minicurso 1 (1ª parte)- 10h às 13h


Pesquisar a diversidade cultural: desafios metodológicos
Convidado: Luis Albornoz (UC3M – Espanha)
Ementa: Apresentação de resultados parciais do projeto de pesquisa "Diversidade cultural e setor audiovisual: boas práticas e indicadores" (Plano Nacional de Investigação Científica, Desenvolvimento e Inovação Tecnológica, Espanha). Partindo do reconhecimento quanto à importância da diversidade no campo da cultura e da comunicação, serão abordados os seguintes aspectos: o impacto da Convenção sobre a diversidade das expressões culturais (UNESCO, 2005), os fatores e circunstâncias que ameaçam a diversidade no audiovisual, as boas práticas que promovem a diversidade no setor, o problema de medir a diversidade nas indústrias culturais.
 
Debate 1 - 19h às 22h

 

Diversidade cultural e o campo do audiovisual
Mediadora: Regina Mota (UFMG)
Convidados:
Daniele Pereira Canedo (UFS) - Pela diversidade cultural no cinema latino e ibero-americano: políticas para a integração do Espaço Audiovisual da América Latina
Ementa: A exposição discute as experiências das políticas cinematográficas regionais na América Latina, refletindo sobre os marcos históricos das iniciativas de redes formais e informais destinadas à integração e a cooperação no espaço cinematográfico ibero-americano e latino-americano.

Maria Luiza Mendonça (UFG)- Ausências discursivas sobre o outro na mídia
Ementa: O olhar da mídia sobre as diversidades. Os processos de produção e circulação de produtos midiáticos e sua relação com a constituição de subjetividades, especialmente no que se refere às culturas e coletividades não-hegemônicas.

Luis Albornoz (UC3M – Espanha) - Diversidade cultural e o campo do audiovisual
Ementa: A problemática da diversidade cultural no marco do funcionamento dos diferentes setores que conformam o audiovisual (cinema, televisão, rádio, fonografia, videojogos). A aplicação exclusiva das regras do mercado audiovisual representa uma ameaça à diversidade cultural? Quais os riscos de uma homogeneização do audiovisual baseada na lógica exclusivamente econômica e comercial?

Programação 22/05/2014

Quinta-feira
Minicurso 1 (2ª parte) - 10h às 13h


Pesquisar a diversidade cultural: desafios metodológicos
Convidados: Luis Albornoz (UC3M – Espanha)

Minicurso 2 (1ª parte)- 10h às 13h

 

A Convenção da UNESCO na atualidade
Convidada: Giselle Dupin (MinC)
Ementa: Resumo histórico da Convenção e das ratificações. A crise institucional da UNESCO e seu impacto sobre a Convenção. O Fundo Internacional da Diversidade Cultural: o que está sendo financiado? Relatórios periódicos quadrienais: como os demais países podem se beneficiar das experiências contidas nos relatórios? Novas agendas de interesse adotadas pelo Comitê Intergovernamental da Convenção: o impacto das tecnologias digitais sobre a diversidade cultural; e a implementação do artigo 21 da Convenção – qual sua relação com outros instrumentos jurídicos e com outros foros internacionais?

Debate 2 - 19h às 22h

Movimentos, ocupações e ressignificações urbanas e digitais: pluralizando a cultura e a cidade
Mediador: Eduardo de Jesus (PUC Minas)
Convidados:
Natacha Rena (UFMG) - Ocupar é resistir: redes culturais multitudinárias construindo uma política do comum
Ementa:
A potência viva da multidão nas redes e nas ruas, a construção de novas formas de ocupar a polis através de táticas estéticas e festas organizadas horizontalmente. As manifestações de rua no Brasil e sua capacidade de interferir na máquina biopolítica reguladora do capitalismo cognitivo.

Bruno Cava (Universidade Nômade) - O ponto de vista da autonomia na nova subjetividade política em rede
Ementa:
A forma-rede não é lugar de neutralidade nem garante, por si só, a horizontalidade de grupos e movimentos. A riqueza das redes está nas disputas travadas continuamente. A questão da autonomia, da subjetivação e as formas de resistência "dentro e contra".

Fábio Malini (UFEs) - O que fazer quando não há mais o que fazer?
Ementa:
Três redes de ação coletiva da internet/rua serão analisadas: #PareBeloMonte, #SomosTodosGuaraniKaiowas e #GlobalWarming. Tais redes resultam de movimentos que criticam, por um lado, o princípio modernizante do capitalismo (e sua política do "não há outro caminho"). De outro lado, recusam qualquer transformação possível a partir de movimentos que derrubam sistemas políticos, mas mantêm intactos tais princípios modernizantes - ancorados em consumo acelerado, degradação ambiental e mutações climáticas . Diante disso, é possível pensar "alternativas" ou outras culturas quando não há mais o que fazer? Que perspectivas trazem essas redes (que fazem parte da genealogia dos movimentos brasileiros de junho)?

Programação 23/05/2014

Sexta-feira
Minicurso 2 (2ª parte) - 10h às 13h


A Convenção da UNESCO na atualidade
Convidados: Giselle Dupin (MinC)

Palestra - 14h às 17h

 

Atualidade da Agenda 21 e a Diversidade Cultural nas cidades
Palestra seguida de mesa redonda
Mediador: Leônidas de Oliveira (FMC/BH)
Expositora: Catherine Cullen
Debate: Antonio Hoyuela, Jorge Cabrera (SESC MG) e José Junior (ODC)

Local: Fundação Municipal de Cultura
Obs. Atividade conjunta ao Conselho Municipal de Políticas Culturais e Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural de Belo Horizonte.

Debate 3 - 19h às 22h

Recombinações e reconfigurações no campo midiático: espaços públicos e individualidades
Mediador: Marcio Serelle (PUC Minas)
Convidados:
Paulo Celso da Silva (UNISO) - Smartcities, identidades e culturas conectadas: o global e o local na comunicação contemporânea.
Ementa: Partindo do conceito e das práticas de Smartcity, como nova construção e reconstrução que une cidade, comunicação e tecnologias, abordaremos as possibilidades e implicações das diversidades culturais e identitárias desses espaços que se pretendem globais.

Sergio Amadeu da Silveira (UFABC) - Convergência digital, diversidade cultural e esfera pública
Ementa: A exposição tratará das duas principais características da cibercultura, a recombinação e reconfiguração dos processos criativos, em um ambiente de convergência digital. Buscará apresentar elementos da ampliação da diversidade cultural diante das tentativas da indústria de intermediação de controlar os fluxos informacionais, base da criatividade.

Geane Alzamora (UFMG) - Visibilidade expandida em conexões intermídia: considerações sobre a noção de público
Ementa: As conexões intermídia conformam uma espécie de dispositivo sociocomunicacional que amplia as curvas de visibilidade e de enunciação provenientes de cada ambiente midiático que o atravessa em ações coletivas de apropriação e compartilhamento em rede. A dinâmica convergente de circulação embaralha as fronteiras entre produção e recepção, assim como enfatiza a relação entre público e visível. O que podemos chamar de público nesse cenário?

Convidados

BRUNO CAVA RODRIGUES
Graduado e pós-graduado em Engenharia de Infraestrutura Aeronáutica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), graduado em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e mestre em Direito na linha de pesquisa Teoria e Filosofia do Direito (UERJ).

CATHERINE CULLEN
Desde 2001, é vice-prefeita no comando da cultura para a cidade de Lille e conselheira para a cultura no Lille Metropole Comunidade Urbana, desde 2008. Ela é presidente da Comissão de Cultura da CGLU – Cidades e Governos Locais, desde dezembro de 2011. A Comissão da Cultura de CGLU é dedicado a promover a cultura como o quarto pilar do desenvolvimento sustentável através a difusão internacional e a implementação local da Agenda 21 da cultura. Nos últimos 30 anos, Catherine Cullen criou, gerenciando ou supervisionando projetos e eventos culturais, com base em sua experiência de diferentes culturas e atividades artísticas. Depois de vários anos de publicação, edição e jornalismo, ela tornou-se editora-chefe da LIBER (o primeiro suplemento cultural europeu emitido por Le Monde , El Pais, Frankfurter Allgemeine Zeitung , The Times Literary Supplement e l’ Indice) sob a supervisão de Pierre Bourdieu. Ela também foi assessora da presidência francesa para a implementação das Acadêmias Universais de Cultura. Também é escritora e tradutora e tem contribuído para muitas reuniões nacionais e internacionais sobre diversos aspectos da cultura.

DANIELE PEREIRA CANEDO
Doutora em Cultura e Sociedade, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), e doutora em Mídia e Estudos da Comunicação (Doctor in Media and Communication Studies), pela Universidade Livre de Bruxelas (Vrije Universiteit Brussel, VUB). Também é mestre em Cultura e Sociedade e graduada em Comunicação - Produção em Comunicação e Cultura, ambos pela UFBA. Atualmente, é professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), e dedica-se à pesquisa e estágio de pós-doutorado no Observatório de Economia e Comunicação (Obscom), na UFS, como bolsista PNPD da Capes. Daniele é vice-coordenadora da seção de Comunicação Internacional e Intercultural da European Communication Research and Education Association (ECREA). Também é membro dos centros de pesquisas CULT, na UFBA, e SMIT (Studies in Media, Information and Telecommunication), na VUB. Tem experiência como docente dos cursos de Produção em Comunicação e Cultura, da UFBA, e de Jornalismo, da União Metropolitana de Educação e Cultura (Unime). Na Bahia, atuou na gestão pública da comunicação (Secom BA - 2001 a 2007) e da cultura (Secult BA 2007-2009). Fala inglês e francês fluentemente e tem experiência profissional nas áreas de gestão cultural e comunicação, tendo atuado principalmente com: planejamento e gestão de políticas culturais; produção cultural; assessoria de comunicação e telejornalismo; produção audiovisual e fotografia; metodologias de análise de redes (ARS). As áreas de interesse na pesquisa são: políticas culturais, políticas audiovisuais e políticas de integração regional; comunicação internacional e fluxos audiovisuais; economia da cultura (economia criativa), economia do audiovisual e do cinema (global, nacional, transnacional e regional) e economia política da comunicação e da cultura.

EDUARDO ANTONIO DE JESUS
Mestre em Comunicação pela UFMG (2001) e Doutor em Artes pela ECA/USP (2008). É professor do Programa de Pós Graduação em Comunicação Social da Faculdade de Comunicação e Artes da PUC Minas com pesquisas na área de audiovisual, arte contemporânea e tecnologia. Desenvolve curadorias, entre as quais destaca-se: "esses espaços" (Belo Horizonte, 2010), Densidade Local , curadoria desenvolvida com Gunalan Nadarajan para o Festival Transitio-mx (Cidade do México, 2008), Mostra Fiat Brasil (2006), Assistência de curadoria do 15º Salão de Artes da Bahia (2007). Integra a diretoria da Associação Cultural Videobrasil.

FABIO LUIZ MALINI DE LIMA
Graduado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (2000), Mestre em Ciência da Informação pelo IBICT/CNPQ - ECO-UFRJ (2002), Doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007). Atualmente é professor adjunto III do Departamento de Comunicação, da Universidade Federal do Espírito Santo, onde coordena o Labic (Laboratório de pesqusia sobre Internet e Cultura). É Pesquisador no CIBERCULT - Laboratório de Pesquisa em Comunicação Distribuída e Transformação Política. É editor do site fabiomalini.com. Atua como realizador multimídia, com trabalhos jornalísticos com enfoque na realização de sites e aplicativos, tecnologias de video streaming e coberturas em tempo real utilizando telefone celular. Atua na pesquisa aplicada com big data, narrativas e análises de redes sociais, coordenando atualmente a pesquisa "Cartografia das Controvérsias na Internet", em parceria com a ECO/UFRJ.

GEANE CARVALHO ALZAMORA
Graduada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1990), mestrado (1996) e doutorado (2005) em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996), tendo realizado estágio doutoral no Interdisziplinären Arbeitsgruppe Kulturforschung der Universität Kassel/Alemanha. Foi professora da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais entre 1995 e 2009, onde integrou o corpo docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social, lecionou no Curso de Graduação em Comunicação Social e coordenou, entre 1999 e 2006, o Centro de Pesquisa em Comunicação (CEPEC). Coordenou, entre 2004 e 2010, o grupo de pesquisa Comunicação e Redes Hipermidiáticas (CNPq/PUC Minas). Desde Janeiro de 2010 é professora da UFMG, onde integra o corpo docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social e também leciona na graduação. É bolsista de produtividade (CNPq), pesquisadora do Centro de Convergência de Novas Mídias (CNPq/UFMG) e colaborada do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia da WEB (InWeb).Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Semiótica e Teorias da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: mídias sociais, convergência, transmídia e jornalismo.

GISELLE DUPIN
Bacharel em Comunicação Social/Jornalismo, pela UFMG, com pós-graduação em Relações Internacionais (pela PUC-MG) e em Gestão Cultural (pela Universidade de Paris Dauphine). Atualmente, é Assessora do Gabinete da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, onde trabalha principalmente com a política de relações internacionais, em especial as ações de difusão da Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, acordo internacional administrado pela UNESCO, para o qual ela é o Ponto Focal no Brasil. Como gestora pública, trabalhou anteriormente como assessora do Gabinete da Secretaria Municipal de Cultura de Belo Horizonte, onde atuou como membro da Comissão Municipal de Incentivo à Cultura; e como assessora do Gabinete do Prefeito de Belo Horizonte, quando trabalhou, entre outros projetos, com a Rede de Mercocidades e com o Programa URB-AL da Comissão Européia. Em março de 2010, foi professora do Módulo “Diversidade Cultural e Políticas Públicas de Cultura” no Curso de Formação de Gestores Culturais da Bahia, curso de extensão com 360 horas, promovido pela Secretaria de Articulação Institucional do Ministério da Cultura em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

LUIS ALBORNOZ
Graduado em Ciências da Comunicação pela Universidade de Buenos Aires e doutorado em Comunicação Audiovisual, pela Universidade Complutense de Madri. Professor Titular do Departamento de Jornalismo e Comunicação Audiovisual da Universidade Carlos III de Madrid e Vice-Decano da Faculdade de Humanidades, Comunicação e Documentação desta instituição. Integra o grupo de pesquisa Televisão-Cinema: Memória, Representação e Indústria (TECMERIN). Coordena o projeto de pesquisa Diversidade Cultural no Meio Audiovisual – boas práticas e indicadores.
Atua na área de Comunicação, com ênfase nas análises das indústrias culturais e nas políticas de comunicação e cultura. Ex-Presidente da União Latina de Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura (ULEPICC) entre 2007 e 2013. Ex-diretor do Observatório de Cultura e Comunicação da Fundação Alternativas (Madri, Espanha), entre 2007 e 2010. No Brasil, é pesquisador associado do grupo de pesquisa Políticas e Economia da Informação e da Comunicação (PEIC/CNPq).

MARIA LUIZA MARTINS MENDONÇA
Possui graduação em Relações Públicas pela Universidade de Brasília (1977), mestrado em Comunicação pela Universidade de Brasília (1981) e doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (1999). Pós-doutorado em comunicação audiovisual na Universidad Autónoma de Barcelona (2007). Fez intercâmbio como pesquisadora na Universidade do Quebec em Montreal (UQAM), com bolsa da Embaixada do Canadá. Pós-doutorado no laboratórios LAIOS do CNRS, Paris, em 2102 e em 2013. Atualmente é professora associada da Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás. Professora do curso de mestrado em comunicação da UFG. Possui experiência na área de Comunicação, com ênfase em Teoria da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação e cultura; mídia, representação e produção de subjetividade; grupos minoritários; organizações populares; dinamização e mobilização sociocultural e cidadania. Dirige o grupo de pesquisa Comunicação e processos culturais (CNPq).

MARCIO DE VASCONCELLOS SERELLE
Professor adjunto III do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social, Interações Midiáticas , da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, onde coordena o grupo de pesquisa Mídia e Narrativa. Concluiu doutorado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (2002), mestrado em Literaturas de Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1997) e graduação em Comunicação Social, habilitação jornalismo, pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1994). É pesquisador do CNPq (Bolsista de produtividade, nível 2). Integrou a comissão de avaliação da Capes para classificação de livros no triênio 2007-2009. Foi coordenador do GT Cultura das Mídias da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Comunicação (Compós), em 2011 e 2012, e vice-coordenador do mesmo GT, em 2009 e 2010. Atua na área de Comunicação Social, com ênfase nos seguintes temas: Cultura das Mídias, Estudos de narrativa, Crítica midiática e Jornalismo Cultural.

NATACHA SILVA ARAÚJO RENA
Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Escola de Arquitetura da UFMG (1995). Mestre em Arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000). Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade de São Paulo (2006). Professora nível Adjunto II do Curso de Arquitetura da EAUFMG. Coordenadora do CENEX da Escola de Arquitetura da UFMG. Coordenadora do Programa DESEJA.CA _Desenvolvimento Sustentável e Empreendedorismo Solidário no Jardim Canadá. Líder do Grupo de Pesquisa INDISCIPLINAR sediado na Escola de Arquitetura da UFMG, que possui suas ações focadas na produção contemporânea do espaço urbano considerando os processos de globalização e mundialização - os impasses, questões e potencialidades delas decorrentes -, toma-se o urbano em sua capacidade de engendrar singularidades e diferenças. O grupo é formado por professores, pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação oriundos de diversos campos do conhecimento (Arquitetura, Economia, Geografia, Letras, Direito, Filosofia, Engenharia, Design, Biologia, Sociologia, Antropologia, dentre outros) e de várias instituições (Universidad Javeriana de Bogotá, UFMG, Universidade de Itaúna, Puc Minas, Centros Universitários UNA e UNIbh), profissionais e cidadãos interessados na temática das biopolíticas do espaço. O grupo articula-se em rede com outras instituições e grupos de pesquisa tais como Práxis (EAUFMG); rede Universidade Nômade e coletivos diversos como Real da Rua, Brigadas Populares, Favela é isso aí, Centro Moravia de Medellín, Oficina Informal de Bogotá, JA.CA, MUQUIFU, dentre outros. As Linhas de Pesquisa são: NEOLIBERALIZAÇÃO DA POLÍTICA URBANA E GENTRIFICAÇÃO; ATIVISMO URBANO, PROCESSOS PARTICIPATIVOS E DESOBEDIÊNCIA CIVIL; NOVAS PRÁTICAS CULTURAIS E BIOPOLÍTICA DA MULTIDÃO; ECOLOGIA URBANA, PAISAGEM E NATURALIZAÇÃO EXTENSIVA.

PAULO CELSO DA SILVA
Graduado em Geografia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Sorocaba (1988), graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Ciencias e Letras de Sorocaba (1989), mestrado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo (1995) e doutorado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo (2000). Pós doutoramento pela Universitat de Barcelona (2001-2) onde desenvolvi projeto de pesquisa com apoio da FAPESP sobre a cidade do conhecimento. Em 2012 desenvolvi um Pós doutoramento na UERJ analisando a produção intelectual do Dr. Milton Santos e a sua aplicação/relação com a Comunicação. Atualmente sou professor titular da Universidade de Sorocaba , professor e coordenador do Programa de Mestrado em Comunicação e Cultura. Minha experiência envolve as áreas de Comunicação, Geografia, Filosofia , com ênfase na Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: sociedade do conhecimento, comunicação e cidade, geografia da comunicação, mídia e movimentos sociais urbanos.

REGINA MOTA
Pesquisadora e professora aposentada do Programa de Pós-graduação e do Departamento de Comunicação Social da FAFICH/UFMG, com atuação na área audiovisual, cinema, televisão e novas tecnologias. É doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e pós-doutora em Cinema Brasileiro na ECA/USP.

SÉRGIO AMADEU DA SILVEIRA
Graduado em Ciências Sociais (1989), mestre (2000) e doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (2005). É professor adjunto da Universidade Federal do ABC (UFABC). Integra o Comitê Científico Deliberativo da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura (ABCiber). Consultor de Comunicação e Tecnologia. Foi professor titular do Programa de Mestrado da Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero (2006-2009). Presidiu o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (2003-2005). É membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil. Pesquisa as relações entre comunicação e tecnologia, práticas colaborativas na Internet e a teoria da propriedade dos bens imateriais. Autor dos livros: Exclusão Digital: a miséria na era da informação e Software Livre: a luta pela Liberdade do conhecimento. Desenvolve trabalhos nos seguintes temas: exclusão digital, tecnologia da informação e comunicação, sociedade da informação, economia informacional, cidadania digital e Internet. É parecerista AD-HOC da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

 

Inscrições no local

Inscrições Gratuitas. Sujeito a lotação do espaço. Serão emitidos certificados de participação.

Local

Memorial Minas Gerais Vale
Praça da Liberdade, s/n˚
esquina com Rua Gonçalves Dias

Memorial Vale



Ver Mapa Ampliado

Dia 23/05 Palestra - Atualidade da Agenda 21 e a Diversidade Cultural
Fundação Municipal de Cultura
Rua da Bahia, 888 - Centro - Auditório


Ver Mapa Ampliado

 

Belo Horizonte - MG - Brasil